quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Chuchu ou Pepino?

Certa vez ouvi que chuchu tem gosto sim: gosto do que estiver com ele. Assim, se estiver misturado com algum tipo de carne, terá gosto de carne; se estiver com batata, terá gosto de batata e assim por diante.
Já com o pepino a coisa é diferente: você pode comer um prato super elaborado e ainda assim perceber que tem pepino ali. É muito difícil disfarçar seu sabor.

Quem acompanha o blog já deve ter percebido que esse post não tem nada a ver com salada. É engraçado como pequenas coisas cotidianas me fazem pensar na vida, no comportamento humano e etc. E a história do chuchu e do pepino também fez.

Existem vários tipos de pessoas, entre elas as que se parecem com o chuchu e as similares ao pepino. As "pessoas-chuchu" não tem personalidade e são influenciadas facilmente. Se você não desenvolver uma opinião própria a respeito do que acontece ao seu redor, será sempre levado por qualquer vento. E quando alguém é levado cegamente pelas idéias dos outros, perde a oportunidade de fazer a diferença através das suas próprias idéias.
Ser chuchu é algo trágico. Todos fomos chamados para fazer a diferença no mundo. Isso até é bíblico (Mt. 5:13-16).
O bom é ser pepino: tão marcante que, por mais que se tente, não dá para escondê-lo. Ele pode se apresentar de diversas formas em um prato, estar misturado com o que for e, ainda assim, preservar sua identidade. 

Então, qual deles você escolhe ser?


Um comentário:

  1. Será que se o pepino for integrado na comida, da mesma forma que cebola ralada, ele ainda estará perceptível?

    ResponderExcluir