domingo, 8 de julho de 2012

O Brasil dos Silvas


Essa madrugada foi diferente. Nas ruas, barulhos de fogos estourando. A adrenalina estava no ar, de forma quase palpável, como durante uma partida de Copa do Mundo. Dentro das casas, os televisores ligados sinalizavam que o Brasil inteiro esperava ver a luta histórica entre Anderson Silva e o americano Chael Sonnen. 
O alvoroço em torno dessa luta deve-se, em grande parte, ao temperamento do americano, que por diversas vezes fez comentários ridicularizando o Brasil e a família do lutador Anderson Silva.
Chega então o momento mais aguardado da noite. De um lado do ringue, Chael Sonnen, o falastrão que se tornou a antítese de tudo o que o esporte valoriza. Por seu comportamento típico de quem não sabe perder - deselegante, como diria Sandra Annenberg -, Sonnen entra no octógono debaixo das vaias do público brasileiro que tomou conta da arena. 
Do outro lado, Anderson "Spider" Silva, atleta talentoso, prudente e conhecido pelas lutas limpas e pelo espírito esportivo. O brasileiro, que caiu ainda mais nas graças do público depois das ofensas do Chael, se mostra concentrado e pronto para a luta.
A batalha começa. Como na luta anterior contra o brasileiro, Sonnen leva a disputa para o chão. O primeiro round acaba com vantagem do americano.
Com o incentivo dos brasileiros - em Las Vegas e no Brasil -, começa o segundo round, e após poucos movimentos (e um vacilo de Chael Sonnen) Anderson Silva nocauteia o adversário, para nossa alegria!
Essa luta foi épica. Parecia um duelo nos moldes de antigamente, quando os homens lutavam para limpar sua honra. Sonnen queria provar que era melhor que o Spider; o brasileiro, por sua vez, assumiu a grande missão de defender a pátria e a família.
Esse caráter "missionário" assumido por Anderson Silva envolveu o Brasil e fez com que vibrássemos diante de sua vitória. O orgulho com que o lutador defendeu o país levantou a moral de todos os seus compatriotas. Por conta disso, é possível dizer que ele está se personificando no novo herói brasileiro. Um herói que (graças a Deus!) tem princípios e valoriza a família. Um atleta com bom comportamento em quem, de fato, os nossos adolescentes podem se espelhar. Após a luta, Silva ainda alfinetou seu adversário com classe e humildade, pedindo que todos os brasileiros aplaudissem Sonnen demonstrando que "no Brasil tem gente educada". Matou na unha.
A vitória do Spider trouxe ao Brasil uma alegria que há muito o futebol não traz. Alegria e orgulho, por ver um brasileiro no topo do mundo sem que a glória lhe suba à cabeça (e tomara que ele continue assim). Valeu, Anderson. Hoje o Brasil inteiro tem o sobrenome Silva.

4 comentários:

  1. Arrazou no post amga. Hádassa

    ResponderExcluir
  2. Supreendente Milena! Acho que você está na profissão errada. Devia ser jornalista! ^^

    ResponderExcluir
  3. Hahaha, quem sabe um dia, né? A vida dá tantas voltas que não duvido de mais nada...

    ResponderExcluir