quinta-feira, 1 de março de 2012

Fábulas em extinção


Hoje estou aqui para fazer uma denúncia. Me senti motivada a fazê-la desde que o texto "O hábito de não ler do brasileiro" se tornou o mais acessado do blog. 
A denúncia é a seguinte: estão extinguindo as fábulas. Isso mesmo, as fábulas. Elas vem sendo assassinadas uma a uma, da forma mais silenciosa e discreta possível.
Os assassinos tem adotado várias táticas: primeiro se infiltram nas casas, e manipulam os pais para que eles não incentivem seus filhos a lerem bons livros. Depois atingem as escolas, que, por sua vez, pedem que as crianças leiam livros chatos e desinteressantes, fazendo assim com que elas não desenvolvam o prazer da leitura. Resultado: as fábulas e contos de fadas estão sumindo do imaginário infantil.
Mas por quê isso é tão importante? Ok, vamos aos fatos.
Segundo a Wikipédia, as fábulas são "composições literárias em que as personagens são geralmente animais, forças da natureza ou objetos, que apresentam características humanas, tais como a fala, os costumes, etc. Estas histórias geralmente terminam com um ensinamento moral de caráter instrutivo." 
Em outras palavras: as fábulas são histórias contadas de forma simples com o objetivo de ensinar coisas como a importância da honestidade, o problema da avareza, e etc; coisas que não estão mais sendo ensinadas apropriadamente.  Substituímos histórias riquíssimas por livros meia-boca, programas de televisão e pela internet.
Se ainda fossem vivos, alguns dos meus amigos de infância morreriam denovo, de desgosto. Estou falando, é claro, dos meus brothers Perrault, La Fontaine, Andersen, irmãos Grimm, e até do brazuca Monteiro Lobato. Isso só para citar alguns.
Como me disseram uma vez, “o cérebro de uma criança é como um disquete (é, isso foi há um tempinho) vazio, e você escolhe o que vai colocar nele”. Por quê então só estamos colocando besteiras nesses disquetes?
Saindo do argumento de que as fábulas são importantes por causa do lance da moral e tal, vale lembrar que são histórias muito interessantes, que estimulam a criatividade e a imaginação de quem as lê. Sem falar que é o tipo de leitura que te prende. Digo isso com conhecimento de causa, pois passei minha infância grudada nelas! Vai por mim, basta comprar um livrinho desses caras que falei aí em cima para você ver o que acontece...nem vai precisar obrigar as crianças a lerem ;)
Não só elas, a propósito. As fábulas são histórias para todas as idades. Quem já leu Alice no País das Maravilhas que o diga; aquele livro pode ser tudo, menos historinha de criança.
Por falar nisso, a título de curiosidade, vocês sabiam que muitas fábulas são adaptações de contos que os ADULTOS (isso mesmo!) foram transmitindo de geração para geração? Pois é. Outras são baseadas em histórias reais, como é o caso do Barba Azul. Ele foi inspirado em Gilles de Rais, um aristocrata francês que lutou ao lado de Joana D’arc e que, mais tarde, se tornou um dos maiores serial killers de todos os tempos (Sério. A história do cara é muuito mórbida).

Bem, depois dessa defesa das fábulas e contos de fadas, fica o pedido: vamos impedir que eles sejam extintos e sumam das prateleiras das livrarias e bibliotecas. Faça a sua parte e proteja um exemplar em casa! rsrs

O menino lendo, de Charles Adams

Nenhum comentário:

Postar um comentário