segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Café com leite

Essa mania de viajar cada vez que eu olho para uma coisa ainda vai me dar problema. Mas tudo bem, devo pensar positivamente: enquanto essas divagações não me causam nenhum transtorno, ao menos se transformam em posts para o blog. :)
Esses dias, durante o café-da-manhã, olhei para minha xícara, e apesar do líquido dentro dela estar bem quente, foi a minha cabeça que borbulhou. De idéias. rs
Confesso que nunca tinha achado o café com leite tão inspirador. Foi então que percebi que não daria para escrever só um texto sobre ele, e por isso decidi que essa vai ser a Semana do Café com Leite aqui no blog!

***

Para poder dizer que você teve uma infância decente deve ter, no mínimo, brincado de Amarelinha alguma vez. E se você for daqueles que, como eu, entraram cedo nessa vida, provavelmente já foi Café com leite.
Café com leite é como chamávamos as crianças que estavam no jogo só para brincar (por serem pequenininhas ou por ainda não saberem a brincadeira). O que elas faziam "não valia" de verdade. Quem era Café com leite podia errar que ninguém ligava; a gente mesmo falava "ah, deixa ele continuar"...
Só que até em brincadeira de criança, quem não arrisca não petisca. O Café com leite podia ter muitas facilidades, mas em compensação não ganhava a partida.
Aí você cresce e não pode mais ser Café com leite. Acaba a mordomia. Por quê isso acontece? É simples: porque você já aprendeu como funciona o jogo! 
Uma vez que se adquire maturidade, as exigências crescem em relação a você, em todas as áreas. Em casa, deve assumir mais responsabilidades; profissionalmente, é hora de se dedicar; espiritualmente, precisa tomar posição. É como aquele velho exemplo: o bebê come papinha, mas ao crescer precisa de algo mais sólido. Deve largar a tal da papinha.
O problema é que a gente cresce e continua querendo papinha. Insistimos, sem perceber que aquilo não nos satisfaz. Pior, já não nos sustenta.
Vocês ficariam chocados por saber quantas pessoas tentam retardar o amadurecimento. Não querem aceitar que são adultos, tampouco assumir responsabilidades. A diferença é que, diante de uma pessoa assim, ninguém mais vai dizer "ah, que gracinha, deixa ela continuar brincando"! A vida se encarregará de deixá-la de lado. É como eu disse, a mordomia acabou. A fase adulta é o momento de se posicionar e jogar para valer, assumindo riscos, se machucando...a vida é assim mesmo, algumas vezes você ganha e em outras perde. Só que não dá para ganhar se você não entrar no jogo.

Tá na hora de deixar de ser Café com Leite.




Um comentário: