sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Os 20 anos do Tri de Ayrton Senna


Muita gente não sabe da minha paixão por Fórmula 1. Gosto muito mesmo. Até pouco tempo (1 mês atrás) ainda tinha uma coleção de carrinhos, mas achei que eles teriam mais utilidade nas mãos de uma criança e acabei dando. 
Pois bem, como uma boa apaixonada por essa categoria do automobilismo, não poderia deixar de falar do dia de ontem, que marcou os 20 anos do tricampeonato de Ayrton Senna. Difícil acreditar que já faz tanto tempo.
Confesso que não me lembro do dia do Tri (me deem um desconto, tenho só 23 anos), mas tenho certeza que devo ter assistido. Meu pai gostava muito de assistir o Senna, e como na época eu era filha única (o que fazia com que meus pais fossem minhas principais companhias), sempre assistia às corridas com ele. Acho que vem daí minha paixão pela Fórmula 1.

Apaixonada por F1 desde pequena
Naquela época era muuuito melhor ver as corridas, tinha bem mais emoção. No ano em que Senna ganhou o Tri, por exemplo, o campeonato teve uma fase bem angustiante. Teve de tudo nas corridas daquele ano: problemas no carro, concorrência respeitável - pois o carro da Williams (carro do principal adversário de Senna naquele ano, Nigel Mansell) era melhor que o da McLaren (escuderia do Senna) - controvérsias...obstáculos que só fizeram com que o Tri fosse mais emocionante, já que Senna era extremamente competitivo e se esforçou para superar cada problema.
Mesmo sendo tão competitivo, Senna conseguiu colher a admiração e respeito de vários adversários. Se tornou muito amigo de Gerhard Berger, seu companheiro de equipe na McLaren. Senna até deixou que Berger o ultrapassasse no final do GP do Japão (corrida do Tri), para que os dois pudessem comemorar o pódio juntos. Legal, né?
Achei um vídeo que mostra o finalzinho do GP do Japão e o pódio. Tenho minhas reservas quanto ao Galvão, mas devo admitir que ele deixava a coisa toda bem emocionante:


Queria ter escrito uma homenagem bem bonita nesse post, mas a inspiração nunca vem quando precisamos dela. Então escrevi só umas palavrinhas sobre esse atleta que tantas alegrias nos trouxe. 
Acho que o Brasil amou tanto Ayrton Senna não apenas por seus títulos e vitórias, mas por ele ter sido um símbolo de garra e força de vontade; um exemplo de que não devemos desistir nunca, mesmo se estivermos em ambientes com desigualdade de condições. Isso mostra que para alcançar um sonho, o mais importante é a determinação que se tem, e não as circunstâncias.
Pela conduta que Senna teve durante toda a vida (como atleta e como pessoa), o brasileiro se espelhou nele. Se espelhou tanto que até hoje falamos do Senna como se ele fosse um amigo bem chegado, ou mesmo um membro da família. 
Mesmo não tendo conhecido Ayrton Senna pessoalmente, posso dizer que sou grata pela vida dele. O brasileiro tem uma maneira tão torta de escolher seus "ídolos" que fico feliz pelo Brasil gostar de ao menos uma pessoa verdadeiramente boa.




Nenhum comentário:

Postar um comentário