quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Liberdade



Hoje acordei com vontade de falar sobre liberdade. Muitos filósofos, cientistas políticos e etc já discutiram o assunto, portanto é com muita humildade que me atrevo a tocar nesse tema. Confesso que, diferente de muitos colegas meus, não sou nenhuma especialista em filosofia, e por isso não vou me aprofundar no mundo das conceituações teóricas. Só quero dizer o que eu sinto em relação à liberdade. Sem firulas.
A liberdade é uma dádiva, e das grandes. Fomos criados para ser livres, mas desde o Éden, gradativamente, fomos perdendo essa liberdade. E por causa das nossas próprias escolhas. Se você não acredita no Éden, existem outros pontos para defender meu argumento: digam lá, quais são as coisas que mais cerceam nossa liberdade? Não são as instituições (conceitos, valores, convenções sociais e as instituições propriamente ditas) criadas pelos próprios homens? Ou seja, nossas próprias escolhas. Um exemplo disso é o governo, criado por nós para colocar ordem na sociedade, limitando e ao mesmo tempo garantindo a liberdade de todo mundo.
Mas sabe, o que mais me preocupa é que, na minha opinião, as pessoas distorceram totalmente o conceito de liberdade. O mundo prega que liberdade é quando você pode fazer o que quiser, desde que não interfira na liberdade dos outros. Basicamente essa é a ideologia do mundo ocidental e, à primeira vista, parece bem justa e razoável.
Mas eu pergunto o seguinte: a liberdade te dá o direito de "fazer o que quiser com você mesmo"? Você não pode agredir o outro mas, protegido por essa noção de liberdade, pode fazer mal a si próprio?

Agora é a hora de dizer: "Claro que posso. A vida é minha, faço com ela o que eu quiser."

E é aí que eu digo qual é a MINHA idéia de liberdade. Tá, não é só minha, li algo a respeito uma vez (não me lembro onde) e, depois de refletir, tirei minhas próprias conclusões. Então, corrigindo, vou dizer qual é A IDÉIA DO FULANO DE TAL SOBRE A LIBERDADE, COM MINHAS ADAPTAÇÕES. rsrs
Não vou descrever o que estava escrito no livro que eu li (até porque nem sei mais diferenciar o que eu li do que é reflexão minha), mas vou dizer o que, inspirada por ele, eu penso sobre a liberdade.
A liberdade não é fazer o que quiser, mas isso não é novidade para ninguém. O que eu fui perceber, depois de "grande", é o quanto isso está distante da verdadeira liberdade. Acho que, ainda que não atrapalhe ninguém, mas fizer algo lhe seja nocivo, você não é livre. Mesmo que tenha feito isso por escolha própria.
O exemplo mais simples disso é o vício. No começo a pessoa entra nessa por escolha própria, mas depois fica estacionada naquilo. E se você não é capaz de dizer "não" para alguma coisa, já não é verdadeiramente livre, porque aquilo te aprisiona.
O que eu acabei de dizer resume toda a idéia que tentei apresentar: Liberdade não é fazer tudo, é ter a capacidade de dizer não. E como ser livre? Para mim, só com Jesus.
Como tenho amigos de todos os "sabores", quero pedir para que vocês continuem lendo o texto com a mente aberta, sem preconceitos. Se eu não falasse do que acredito, esse blog não seria autêntico ;)
Sempre que leio o Novo Testamento fico maravilhada com a simplicidade de Jesus. Ele queria que fôssemos livres, e morreu em prol dessa causa. Durante toda sua vida tentou abrir os olhos das pessoas para a verdadeira liberdade, que só é encontrada com Deus, porque é ele que dá forças para dizer não àquilo que nos faz mal. Sem Deus nos tornamos propensos a cair, pois não temos forças suficientes para segurar a barra que é esse mundo. Ainda bem que não precisamos ter essa força, basta segurar na mão dEle que Ele ajuda \o/
Sei que muitos, erroneamente, pensam que a vida com Deus é sufocante. Que são só obrigações, que não dá para fazer nada. O que é um absurdo! A Bíblia mesmo diz, em I Coríntios, que "todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma." Aí que está o segredo da coisa ;)
Mesmo não tendo sido escritas com esse enfoque em particular, alguns textos bíblicos me ensinam muito sobre a verdadeira liberdade. Atos, Romanos e I Coríntios, por exemplo. São livros que me fizeram perder muitos "pré-conceitos" e perceber que seguir a Cristo não é um jugo, ou uma carga. Olha o que está escrito em Mateus:

"Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.

Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.

Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve."

As práticas religiosas que dificultam nossa vida foram instituídas pelos homens; Jesus nos deixou um modo de vida bem simples, para dizer a verdade.Deus nunca quis que andar com Ele se tornasse uma carga dificil de carregar. Querem um exemplo bem legal? Leiam Atos 15, nele acontece um episódio bem interessante. Para quem não tem Bíblia, dá para ler por aqui: www.bibliaonline.com.br
E é isso, pessoal. Agora é esperar para ver quem vai ser o primeiro a sair por aí distorcendo o que eu disse, kkkkkkk =P


P.S: Quero mandar um mega beijo para a querida Karina, que teve uma paciência de Jó enquanto eu escrevia esse texto rs

4 comentários:

  1. ...Inteligente! Palavras que vieram sabiamente, na hora certa, para desembaralhar os meus pensamentos pessimistas! ;) Só a Milena mesmo..

    ResponderExcluir
  2. Magrela, você me surpreende com seus textos. O fato é que a idéia de liberdade pregada pelos homes é uma liberdade que quase sempre leva a "prisões" e vícios, já que e liberdade dos homes não tem a plenitude da liberdade com "não" pregada por Jesus.
    Muito bom o texto Pa! XD

    ResponderExcluir
  3. muito legal o texto, apesar de eu ter um lado espiritual independente (como disse o orkut, rsrs) aprendi muito q respeito desse assunto com minhas próprias experiências, e concordo com você, liberdade não é fazer tudo o que se quer, liberdade anda junto com responsabilidade, com controle próprio e principalmente se importando com os outros, não existe liberdade individualmente. acho que tá bom neh.. era so um comentário e acabei fazendo outro texto rsrs,. mutio bom seu blog viu Mileninha .. voltarei outras vezes. beijo

    ResponderExcluir
  4. Lay, vc fez exatamente o que eu queria: leu o texto com a cabeça aberta, mesmo ele seguindo uma linha de pensamento um pouco diferente da sua...muito obrigada! \o/ Gostei muito do seu ponto de vista tb...a noção de auto-controle define bem o que eu quis dizer no texto ;)

    Pi, valeu pela visita e por participar da discussão!

    E Lari, que bom que o texto te ajudou! A intenção é essa mesmo =) Mas depois quero que você me explique que pessimismo é esse, rs


    Bjs a todos!

    ResponderExcluir