domingo, 24 de julho de 2011

Texto do dia: Oscar Wilde

O texto de hoje está aguardando para ser postado há um tempinho. Ia postá-lo no Dia do Amigo, mas não deu tempo. Depois vi que o último post havia ficado muito grande e não compensava colocar paragráfos que vocês não teriam paciência para ler. Por isso decidi colocá-lo agora, para encerrar a semana (não adianta, na minha cabeça Domingo é o último dia da semana. Só funciono assim).


LOUCOS E SANTOS
 
Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.
Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril.


Oscar Wilde



E vamos lá, para a última noite do CONADET =(

Um comentário:

  1. Legal também é quando o normal é ser inesperado! Diferente do diferente, que pode as vezes ser imprevisível, aí, tudo descamba! Boa semana!

    ResponderExcluir