quarta-feira, 22 de junho de 2011

Filme: Invictus



Hoje falarei sobre um filme realmente especial: Invictus. Dirigido por Clint Eastwood, o filme mostra como Nelson Mandela - depois de assumir a presidência da África do Sul - se valeu da paixão de muitos pela seleção de rúgbi para unir o país, que mesmo após o apartheid continuava segregado socialmente.
Não pretendo falar muito sobre a história do filme, só que é basicamente sobre unidade e respeito ao próximo. As cenas em que Mandela (interpretado brilhantemente por Morgan Freeman) aconselha o capitão da seleção, François Pienaar (Matt Damon), são inspiradoras. Sério, me fizeram chorar.
Assim, não pretendo falar muito sobre o enredo do filme, mas preciso falar sobre as emoções que ele despertou em mim. Fazia tempo que um filme não me empolgava tanto. Não por causa de grandes cenas melodramáticas e sensacionalistas, mas pela simplicidade e leveza da história. Invictus é assim.
A cada cena eu me envolvia mais, como se eu fosse uma sul-africana e estivesse ali, ao lado do Mandela, assistindo a tudo de camarote. Cada frase que ele falava ressoava dentro de mim. Tem razão ele ter chegado onde chegou; uma força de espírito daquelas não é para qualquer um. A capacidade de perdoar, a visão de líder, os valores...Nelson Mandela é de fato um homem admirável. Sempre soube disso por conta da história do apartheid, mas nunca havia pesquisado muito sobre a história da África pós-apartheid. É emocionante também.
Achei lindo como Eastwood desenrolou essa história (que é real) de forma tão suave. Durante todo o filme a gente assiste as mudanças que ocorrem com Pienaar e como ele acaba incentivando as pessoas ao seu redor também. Grande exemplo do que é ser um multiplicador.
E, como a cereja que vai em cima do bolo, vale citar a belíssima trilha sonora de Invictus. As  músicas foram colocadas na hora certa, completando cada cena. 
Enfim, apesar de alguns críticos não terem reconhecido o valor desse filme (ainda bem que só uma minoria), ele já entrou na minha galeria de favoritos. Gosto de coisas que me inspiram, e esse filme faz a gente querer mudar o mundo. Não devo falar mais nada, senão vou me empolgar e contar tudo. Só digo uma coisa: Assistam, assistam, assistam!
Para inspirá-los até que assistam o filme, deixo vocês com um verso do poema que inspirou Mandela durante o perído em que esteve na prisão:

"I am the master of my fate: I am the captain of my soul"
(Eu sou o mestre do meu destino: Eu sou o capitão da minha alma)

Nenhum comentário:

Postar um comentário